REFORÇANDO O ESTUDO DE MEDIUNIDADE

O orgulho, o egoísmo e seus filhos (ambição, vaidade, inveja …)
1.  O desenvolvimento da mediunidade se processa na razão do desenvolvimento moral do médium?
– Não. A faculdade propriamente dita é orgânica e, portanto independente da moral. Mas já não acontece o mesmo com o seu uso, que pode ser bom ou mau, segundo as qualidades do médium.

2. Sempre se disse que a mediunidade é um dom de Deus, uma graça, um favor divino. Porque, então, não é um privilégio dos homens de bem? E por que há criaturas indignas que a possuem no mais alto grau e a empregam no mau sentido?
– Todas as nossas faculdades são favores que devemos agradecer a Deus, pois há criaturas que não as possuem. Podias perguntar por que Deus concede boa visão a malfeitores, destreza aos larápios, eloquência aos que só a utilizam para o mal. Acontece o mesmo com a mediunidade. Criaturas indignas a possuem porque dela necessitam mais do que as outras, para se melhorarem. Pensas que Deus recusa os meios de salvação dos culpados? Ele os multiplica nos seus passos, coloca-os nas suas próprias mãos. Cabe a eles aproveitá-los.

3.  Qual seria o médium que poderíamos considerar perfeito?
– Perfeito? É pena, mas bem sabes que não há perfeição sobre a Terra. Se não fosse assim, não estarias nela. Digamos antes bom médium, e já é muito, pois são raros.

4. Quais as condições necessárias para que a palavra dos Espíritos superiores nos chegue sem qualquer alteração?
– Desejar o bem e repelir o egoísmo e o orgulho: ambos são necessários.
Todas as imperfeições morais são portas abertas aos Espíritos maus, mas a que eles exploram com mais habilidade é o orgulho porque é essa a que menos a gente se confessa a si mesmo.

Educação da Mediunidade

Auto-análise, trabalhando as imperfeições do caráter, os conflitos comportamentais, lutando pela transformação moral para melhor no seu mundo interior. Esse esforço não se aplica a certo período da vida, mas a toda existência.
João, o Batista, proclamou em referência a Jesus: “é necessário que Ele cresça e que eu diminua”.
O exemplo deve ser aplicado aos médiuns, considerando-se apenas como instrumentos que diminuem de importância enquanto a mensagem cresce.
A arrogância, a presunção, a vaidade que exaltam o ego diminuem a qualidade dos ditados mediúnicos …
Há que se combater o ego e seus parceiros …
Ser agradável e gentil, vivendo com afabilidade e doçura, de modo a se tornar seguro intermediário dos Espíritos nobres e bons, que preferem eleger aqueles que se lhes assemelham ou que se esforçam por melhorar-se cada vez mais, é dever impostergável.

Roteiro seguro
1) Paciência para esperar o momento certo de entrar em ação;
2) Serenidade para aceitar as críticas e correções necessárias;
3) Bom-senso para rejeitar sugestões e palpites de “entendidos” que nada entendem;
4) Cuidado com os que se deixam fascinar pelos fenômenos e acabam suscitando no médium uma falsa euforia que acaba por gerar nele uma autêntica vaidade;
5) Humildade para aprender o que não sabe e corrigir desvios e equívocos;
6) Vigilância para identificar possíveis envolvimentos, tanto da parte dos desencarnados como dos encarnados.

 

 

Reforma Íntima
Somente a edificação íntima e a conduta sadia constituem segurança para quem, portador de mediunidade, busque o estudo e a prática consciente da faculdade, elevando-se pelo pensamento, pelas palavras e atos às Esferas da Luz”.
Todos marchamos da sombra na direção da Grande Luz que nos atrai e que um dia nos banhará em definitivo, eliminando toda mácula e primarismo por acaso ainda existente em nós”.

 

Estudo feito em março de 2013
Pesquisa feita na Internet
Estela Jardim (Yá-Irawó)

Posted in: