SILÊNCIO

         A quietude, o silêncio e a solidão não significam inação ou inércia. A quietude diz respeito à ação interior, desinteressada, que não visa a reconhecimento, a gratidão ou sequer a ser notada.

         E que significa uma atitude silenciosa? Silêncio é só ficar calado sem dizer nada? É mutismo? Na verdade, silêncio é mais do que isso. O silêncio é um estado interno em que não há críticas, nem desejos, nem cobranças ou interferências.

         Quando quietos e silenciosos, não comparamos, não desejamos, não criticamos: estamos estáveis em nós mesmos. Não divididos. Nos sentimos unos com tudo que nos cerca. Nesse estado experimentamos ser uma perfeita unidade, isto é, reconhecemo-nos solitários.

         Quem é desse modo solitário reúne em si energia, pois toda a sua potência fica concentrada no interior do ser e é irradiada para o mundo como bálsamo ou como poder de reconstrução.

SUGESTÃO PARA QUEM NÃO ESTÁ HABITUADO AO SILÊNCIO

         Inicie ouvindo os  barulhos externos, os sons da natureza;

  • procure não falar o desnecessário;
  • procure um local onde você possa ficar bem acomodado;
  • escolha um objeto e olhe para ele com serenidade buscando ir além dele, isto é, ir ao interior dele, ir além do que os seus olhos externos estejam vendo;
  • feche os olhos e sinta o seu ser, seus sons, abra sua intuição sem nenhuma pretensão. Conduza-se para um lugar prazeroso, de paz e serenidade e esteja aberto para se tornar uno ao todo.

A prática do silêncio nos joga para dentro. Nos coloca no centro de nós mesmos. Passamos a percebem quem somos: a energia Divina que habita em nós.

Tudo que é externo, tudo que pertence ao mundo material passamos a “assistir”, contemplar, fora de nós, porque centrados podemos perceber isso.

Quantas pessoas não conseguem ficar a sós, em silêncio? Chegam nas suas casas e imediatamente ligam a TV, ligam o rádio ou o celular  porque precisam de algo externo para se sentirem seguros?

Estas pessoas estão desconectadas de si, ou não aceitam o seu estado de paz e serenidade. Precisam de informações e coisas para pensar, mas pensar para fora: o que está acontecendo com fulano? Quais as notícias de hoje? Precisam de barulho mental e atividade mental.

Esta mente não está apta para buscar a interiorização, para buscar a conexão interior.

Quando colocamos como prioridade o nosso crescimento espiritual, precisamos silenciar a mente e trazer para a nossa rotina diária a prática do silêncio.

Podemos começar com poucos minutos e estender o tempo com a prática.

Isso muda o nosso olhar, o nosso jeito, acalma a nossa mente e nos traz um estado de paz verdadeiro capaz de produzir grandes mudanças.

Quando vamos a nossa Casa Espiritual, ou a um Templo Sagrado, é um momento especial para praticarmos isso, mas ao contrário, ficamos andando de um lado pro outro e procurando os amigos para conversar sem parar. Podemos observar uma minoria que se recolhe num local e pratica o silêncio interior como forma de conexão com o Divino. A maioria das pessoas não estão preocupadas com isso, embora tenham um papel a desempenhar junto à espiritualidade.

Pensemos nisso. Vamos adotar a prática do silêncio para nos curar, para nos conectar, para nos acalmar e para que possamos encontrar verdadeiramente a nossa Luz. Somente quem vive na Luz é canalizador da Graça Divina.

Obaraiyê

 

Posted in: