Egoísmo

Considerações sobre Egoísmo

Uma breve história:

Um rico sabidamente mesquinho, visitou um velho sábio.
Este de imediato o levou para a janela e perguntou:
-O que você vê?
O rico respondeu:
– Vejo pessoas caminhando na rua.
Imediatamente o sábio pegou um espelho e lhe mostrou perguntando:
– O que você vê agora?
– Vejo a mim mesmo, disse o rico com obviedade.
– Pois é, meu amigo,. Na janela há vidro e no espelho há vidro. Ambos são feitos da mesma substância. Mas o vidro é encoberto por uma fina camada de prata. No momento em que a prata aparece, você cessa de ver os outros e só vê você mesmo.

A sede de todo sentimento de egoísmo encontra-se no nosso Ego.
Ele é a fina camada de prata que nos ilude a pensar que tudo é pessoal, que tudo somos nós, que tudo é feito para nós e vai nos dotando de uma cegueira muitas vezes irreversível.
Perdemos a noção do todo, dos outros e não nos compadecemos ou tentamos entender as razões do outro. Não nos afeta os desequilíbrios e sofrimentos alheios.
O egoísta pensa que se ele estiver bem, ótimo. Tudo está bem.
O egoísta não consegue debater ideias que divergem da sua. Tudo vai para o plano pessoal, pois seu Ego não permite se elevar para absorver outros pontos de vista que destroem a sua verdade pessoal.
O egoísta destrata os outros, pois ferir o outro com grosserias e falta de educação é normal. Afinal, o Ego precisa se auto afirmar sempre.
Se analisamos uma pessoa egoísta, bem lá no fundo há frustrações que ele não consegue lidar. É um frustrado na vida e precisa se sentir no centro das atenções.
A solidariedade, a caridade, o trabalho voluntário são o caminho para trabalhar este sentimento.
É necessário que saiamos do mundinho do Ego para nos jogar na vida como um ser integrado ao Todo, sabendo que somos feitos da mesma substância e que a dor do outro é nossa também.
Numa Casa Espírita temos o território perfeito para trabalhar o egoísmo. São tantas dores alheias que se apresentam que podemos avaliar o quanto podemos servir e amar, neutralizando assim o nosso Ego.
Precisamos entender que o Ego é a sede do corpo mental e muito necessário para o nosso crescimento no mundo. O que não podemos é permitir que ele suprima a nossa Luz Espiritual e que nos isole do aprendizado necessário.
O egoísta não discute. Fica de mal com a pessoa. Não sabe trocar, compartilhar, compreender e absorver novos conceitos. São seres paralisados espiritualmente e imaturos emocionalmente.
Avaliemos nossas atitudes e permitamos que a oportunidade de servir e amar seja o nosso bálsamo curativo capaz de colocar o equilíbrio na nossa vida.
Axé!
Obaraiyê.

Posted in: