A inteligência de Cristo e a Escola da Existência

Na escola da existência, literalmente escolhemos em qual carteira e fileira que iremos sentar, para assumirmos o nosso papel de alunos. Não há como se esquivar ou relutar, a naturalidade da essência da vida se encarregada da evidenciar nosso espaço.

Somos todos alunos, engenheiros de pensamentos, alunos voltados para alicerçar tais pensamentos. A todos instante, e diga se de passagem, mesmo sem querer, ou seja, involuntariamente, estamos a produzir pensamentos.

Cabe a cada um de nós, aluno, como iremos estruturando nossos pensamentos. Daí o fato de termos a atenção para a grandeza de sermos eternos engenheiros de pensamentos.  Ao lidarmos com as intempéries da vida, no decorrer dos nossos dias, convivemos com uma gama infinita de pensamentos. E, a nossa reação diante dos fatos apresentados no viver, irá destilar os nossos pensamentos, convertendo-os em atitudes positivas ou negativas.

Logo se passarmos a observar como está o nosso viver, positivo ou negativo, vamos nos defrontar com a realidade de como estamos lidando com nossos pensamentos, ou seja, como estamos empregando nossas forças psíquicas e físicas na escola da existência.

Ao pegarmos a figura de Cristo como exemplo, trazendo-a para a atualidade, notaremos que ele, um grande engenheiro de pensamentos, conseguia mesmo diante de situações estressantes ter a capacidade de expressar com grandeza suas idéias. Jamais deixava que o externo influenciasse no interno, o que realmente habitava nele de grandes pensamentos era alicerçado na coerência das respostas, mesmo diante das perguntas elaboradas para ele, em momentos de alto estresse. Ressaltando que ele mesmo era um conhecedor profundo das dores, mazelas e miséria da alma humana.

Então, porque não seguir os seus passos e nos sentarmos ao seu lado na mesma fileira de carteira da escola da existência? Procurando trabalhar nos pensamentos, convertendo-os em atitudes positivas, expurgando desta forma males que afligem nossa psique.

Grandes males como o pânico, a síndrome do medo e a depressão, poderiam ser tratados através das nossas habilidades como engenheiros de pensamentos. Não quero aqui afirmar que o tratamento farmacológico seja abolido, mas apresentar um novo antídoto para tais males, o da construção de novas formas de pensar, um pensar positivo e único com o Grande engenheiro de pensamentos, Cristo.

Ele nos demonstra através dos seus relatos bibliográficos, que sempre há uma resposta para as perguntas que nos são apresentadas na escola da existência. Somos engenheiros de pensamentos construtores de idéias e fatos que irão fazer parte da nossa jornada neste mundo.

 

JONSON ALEX BARBOSA DA SILVA

28/03/2008

 

Axé,

Odékainã

 

 

 

 

Posted in: