Alguns conceitos necessários para viver nossa religião

vela

“ Vendemos nossa liberdade muitas vezes por um pacote de palavras vazias, é mais cômodo. Se a religião não corresponder à minha expectativa pessoal, apenas troco de religião. O homem prefere aceitar ao invés de compreender. É muito mais fácil aceitar cegamente do que compreender verdadeiramente e nos tornarmos livres.”

– Vó Luíza

 

Para vivermos a nossa religião precisamos compreender alguns conceitos formadores que são a base do nosso entendimento. Um filho que não compreende os conceitos básicos da sua religião, possivelmente ficará perdido e à margem do processo de transformação.

Uma casa de Axé proporciona a todos, sem distinção, a possibilidade de viver e ser responsável por suas escolhas, mas para isso, o filho necessita conhecer e estudar sempre da religião que escolheu.

O Livre Arbítrio não é coisa para qualquer um. Existem espíritos que só caminham sob comando e quando algo dá errado, a culpa está fora. São pessoas que sempre possuem uma justificativa para seus erros. São incapazes de baterem no peito e dizer: eu escolhi errado. Estas pessoas não estão amadurecidas para mudanças. Mudam de religião ou de Casa Espírita. É mais fácil.

Para exercer com consciência o nosso livre arbítrio, precisamos primeiro conhecer melhor a escolha da religião, e com ela, seus conceitos básicos.

Em 2009 eu escolhi alguns conceitos formadores que pautam a Umbanda. Digo Umbanda, porque é o foco deste site. Levar entendimento aos filhos da minha (nossa) Casa.

  1. NÃO HÁ VIDA FORA DE DEUS
    Dentro deste conceito, a Umbanda prega que Deus, Olorum, Zambi Oiapongue,… é TUDO. Todas as coisas que nossos sentidos podem perceber é manifestação desta Energia Onipresente, Onisciente e Onipotente. Todas as coisas da Criação devem ser respeitadas uma vez que a Centelha Divina está presente em tudo como por exemplo, nas águas, nas matas, as rochas, os ventos… Vó Luíza ensina que Deus está inconsciente para o reino mineral, semiconsciente para o reino vegetal e animal e consciente no homem, ou seja, a Presença Divina habita todos os reinos e cada um possui uma vibração própria e estão sob a Lei da Evolução. Temos o sexto sentido que é o sentido da “alma”, a intuição ou mediunidade. Percebemos o mundo material através dos sentidos físicos e nos ligamos ao mundo espiritual e energético através da mediunidade. Se conseguirmos absorver este primeiro conceito de que DEUS È TUDO, entenderemos que o nosso Orixá é uma parte de Deus, presente em nós, representando uma força da natureza, capaz de dar a tônica da nossa personalidade e condições próprias para nossa evolução.
  2. SOMOS CRIADOS EM FAMÍLIA
    Esta estrutura que se chama família, é a responsável para nos educar, ensinar e encaminhar na vida. Isso é toda parte do mundo é função da família. Deus confia “almas” a um pai e a uma mãe que criará seu filho conforme seus valores e guiados por linhas kármicas anteriormente traçadas no plano espiritual.Uma das primeiras providências dos senhores de escravos no Brasil foi de desagregar as famílias. Separar filhos dos pais e mães, com o objetivo de enfraquecê-los e torna-los emocionalmente frágeis. Mas a programação espiritual fez com que este sentimento se tornasse uma força uníssona e elevaram o sentido de Família Consanguínea para Família Espiritual, o que se conserva até hoje. Somos atraídos para sermos orientados por um Pai ou uma Mãe, que encaminharão seus filhos no aprendizado da Lei dos Orixás, conforme o Axé plantado que sustenta as relações espirituais e os ensinamentos, além de proporcionar a oportunidade de transformação através de AMAR E SERVIR. Numa casa de Axé, quem ama serve e quanto mais se serve, mais se ama.  Não temos outro chamamento para nossa transformação senão este. QUANTO MAIS SE SERVE, MAIS SE AMA E QUANTO MAIS SE AMA, MAIS SE SERVE.
  3. SOMOS ETERNOS.
    Costumamos falar da eternidade de agora, do tempo presente para frente. E para trás? O que é então ETERNIDADE senão o sempre? Sempre existimos e sempre existiremos e por isso, nossa bagagem ao longo das encarnações, precisa ser usada em nosso benefício. A nossa alma possui todos os estágios da Criação, todas as memórias. As reencarnações são estágios de crescimento do ser. A Umbanda absorve a Teoria Reencarnacionista pregada por Kardec e investe nos seus filhos para que pratiquem amor e caridade como forma de resgate e erros passados. Todo trabalho de uma Casa de Umbanda é puro resgate. Não nos encontramos por acaso, somos certamente, espíritos que necessitam de práticas mais elevadas de atitudes e conduta moral para conseguirmos caminhar para a Luz Divina.
  4. LIBERDADE DO SER CONFORME SUA CONDIÇÃO.
    Não somos perfeitos, somos aprendizes da vida e cada ser age e reage à sua maneira, por isso cada um recebe de Deus, Orixás ou energias diferentes para cumprir o seu destino. Uma pessoa de Obaluaiê jamais reagirá conforme uma pessoa da Oxum e assim por diante. Para vivr este conceito precisamos ver além das aparências, precisamos reconhecer que cada irmão precisa ser respeitado e jamais julgar as atitudes do outro, porque cada um só pode oferecer aquilo que traz na sua bagagem pessoal. Somos complexos demais para sermos rotulados. Se Deus nos delegou esta prerrogativa de sermos diferentes e únicos, por que não buscarmos a compreensão disto? Somos templos sagrados dos nossos Orixás e vivemos todas as nossas experiências para nos tornarmos Luz.Na próxima atualização, continuaremos com os seguintes conceitos: 

    • A FAMÍLIA ESPIRITUAL É SUSTENTADA PELO AXÉ.
    • A TRANSFORMAÇÃO ESPIRITUAL PASSA PELA TRANSFORMAÇÃO MORAL.
    • COLHEMOS EXATAMENTE AQUILO QUE PLANTAMOS.
    • JESUS É O NOSSO MESTRE.
    • OS GUIAS DA UMBANDA NECESSITAM DA EVOLUÇÃO DO MÉDIUM PARA SUA LIBERAÇÃO.

Que possamos refletir sobre nossas escolhas, principalmente, por quê escolhemos esta religião?

Obaraiyê

Posted in: