Do Carnaval à Páscoa

Muitos de nós não entendemos o por quê do calendário oscilar no agendamento das festas de carnaval. Em alguns anos é no início de fevereiro, outros, no final, enfim, não há uma data fixa.

Na verdade, o que marca esta data é o calendário Lunar no Hemisfério Norte.

A referência é a Páscoa: 1ª Lua Cheia que ocorre após ou durante o equinócio da promavera boreal no Hemisfério Norte. A partir daí as outras datas são marcadas e foram determinadas pelo Concílio de Nicéia, na Itália, em 325 d.C.

 

– Carnaval – 47 dias antes da Páscoa (3ª feira)

– Cinzas – 46 dias antes da Páscoa

– Ramos – 07 dias antes da Páscoa

– Espírito Santo – 49 dias após a Páscoa

– Santíssima Trindade – 56 dias após a Páscoa

– Corpus Christi – 60 dias após a Páscoa

 

A Páscoa representa a verdadeira Luz de Deus, a certeza da renovação e de que podemos ser felizes e nossa fé sempre fortalecida.

 

Nestes 47 dias que antecedem a Páscoa, o planeta Terra entra na sua própria sombra dentro do sistema solar. Como se fosse um Sol da Meia Noite. As sombras se apresentam iluminadas e o nosso lado Luz fica bastante obscuro como a noite.

O Carnaval representa o início do período de sombras, que só terminará no Domingo de Páscoa, por isso a necessidade da quaresma para purificação dos nossos espíritos.

Durante este período da Festa da Carne, há um convite ou chamamento perigoso para colocar as nossas garras, o nosso lado pior, as nossas sombras para fora. Isso é necessário pois não conseguiríamos avançar sem nos analisar como um todo.

Sombra e Luz são a nossa natureza. Não podemos negar isso. Porém, um ser que deseja progresso espiritual precisa reconhecer os chamamentos deste período.

O que me alegra? O que me dá coragem para me mostrar? O que me revolta? O que me dá raiva? O que me frustra? Qual a motivação dos meus encontros neste período? Como lido com minha sexualidade? O que me faz catarse emocional? Que diabo mora em mim? Eu o reconheço?

 

Temos os dias de Carnaval para ouvir e reconhecer estes chamados. Ainda no período de vigília por conta das sombras, mais quarenta dias de reflexão e purificação, até que a Terra saia da sua própria sombra, na Páscoa.

 

No Plano Espiritual também é assim. Os espíritos das sombras saem do Umbral ou dos seus locais escuros e visitam a Terra. Buscam encontrar sintonia para vampirizar e manipular. Isso é uma forma de se sentirem vivos, uma vez que não possuem consciência da imortalidade ou do seu estado espiritual. São densos e sentem as necessidades físicas como fome, sede, vícios e sexo. Uma ótima oportunidade para se aproximar dos invigilantes.

E depois que ficamos acompanhados e fazemos coisas que venhamos a nos arrepender ou envergonhar? Precisamos comer o pão da vergonha, aquele que gera culpa e arrependimento nas nossas consciências para conseguir nos desvencilhar deles, pois muitos ficam conosco mesmo após este período e tem neste momento a possibilidade de voltar a conviver na Terra, através de nós.

 

Que neste Carnaval e em todos os outros que iremos viver, sejamos conscientes do que realmente existe por detrás deste período.

Há uma Ordem Universal e ninguém, nenhum de nós escapa dela. Cabe a nós conhecermos os trânsitos planetários e como agem estas energias sobre nós.

Deus é alegria. Deus é vida. Deus é amor. Deus é paz e Plenitude.

Sejam estes os nossos sentimentos verdadeiros.

Bom Carnaval a todos.

Axé!

 

Obaraiyê

Posted in: