Livre Arbítrio

Fala-se muito de liberdade, de livre arbítrio, mas será que sabemos realmente como exercer e o que seriam estes conceitos?

Nos anos 70 pregava-se uma tal liberdade ilimitada. Aquela que “tudo pode” literalmente. Nesta década de tudo foi experimentado em relação à liberdade, mas no fim, vimos que a experiência não foi boa.

Jovens mortos com overdose, casais e famílias destruídas, falta de compromissos, enfim, liberdade por liberdade é como se malhássemos apenas um lado do nosso corpo. Vamos criar músculos apenas de um lado e isso nos tornará aleijados.

A liberdade, como tudo na vida, é uma via de duas mãos. Ela precisa caminhar junto com a responsabilidade.

Para a Cabala este conceito é assim: TORNA-SE LIVRE AQUELE QUE TEM A OPÇÃO DE NÃO FAZER O QUE QUER.

Vejamos os animais. São totalmente previsíveis. Se tem fome vão tentar saciar este instinto do corpo de qualquer jeito.

Nós, se queremos comer uma barra de chocolate e sabemos que nos fará mal, podemos optar para que não comamos e ficamos bem com nossa saúde. Na verdade, nós usamos um desejo ainda maior: o de viver com saúde.

Este é o verdadeiro Livre Arbítrio: A CAPACIDADE DE ROMPER COM O PADRÃO DE COMPORTAMENTO AUTOMÁTICO. Por isso todas as religiões impõem restrições. Sem elas, não conseguimos ser livres.

Então, onde está o INIMIGO que não nos permite escolhas corretas?

Há muitos anos, passou-se a atribuir o mal a uma entidade externa, quando na verdade, ele está muito mais dentro do que fora.

A palavra “Satã” em hebraico pode ser traduzida por obstáculo. E as dificuldades são sem sombra de dúvidas o maior fator de crescimento humano.

Quem depara com os obstáculos da vida, se depara com “Satã”. E como enfrenta-lo? E como vencê-lo?

Quando conseguimos dizer NÃO às nossas inclinações negativas.

Quando lidamos de frente com a dificuldade ou obstáculo, sem reclamar, sendo o autor e agende da mudança.

Quando adquirimos um propósito para a nossa vida, que não pode ser apenas acordar, trabalhar, comer e dormir. Ei! Você vive neste mundão! E o que você faz por ele? Isso é propósito. O que você faz por você chama-se desejo.

Que todos nós encontremos a força de mudança capaz de romper com nossas inclinações negativas e dizer NÃO àquilo que nos puxa para trás dizendo SIM a um propósito superior aos nossos desejos pessoais.

Isso nos coloca na abundância do Universo e traz a capacidade de recebermos mais Luz para que a fluidez da vida se faça com muitas bênção.

Axé!

Obaraiyê.

Posted in: