O UNIVERSO E O HOMEM ESTÃO EM CONSTRUÇÃO PERMANENTE

A Totalidade não é a Perfeição.

Quando nós pensamos em Deus, pensamos em Totalidade e Perfeição. Aquele que É.

Porém, quando desviamos o nosso olhar para Sua Criação, podemos perceber que todo o Universo e o próprio Homem, busca a Perfeição, ou seja, o retorno à Casa do Pai.

Ao entrarmos no universo dos Oráculos através dos elementos da natureza, Terra, Fogo, Ar e Água, começamos como gotas para depois nos tornarmos um Oceano.

Tornar Oceano é perdermos a individualidade,  identificarmos o Ego e mergulharmos nas sendas profundas da nossa alma.

Muitas doenças e desequilíbrios são oriundos do desequilíbrio entre os desejos e anseios da nossa Alma e aquilo que o mundo nos exige fazer.

Com isso vamos utilizando mal os elementos da Natureza e precisamos de alguma forma buscar o equilíbrio e reposição das nossas forças, da nossa essência.

Todas as coisas tem CORPO e ALMA. O Corpo é o Mundo e a Alma é Deus. O corpo não é inimigo da alma, assim como o mundo não é inimigo de Deus.

Algumas religiões pregam que o Mundo é o inimigo de Deus e que as coisas do Mundo são um horror para a vida espiritual.

O nosso olhar difere destes dogmas. O mundo é a nossa escola e Deus nos dotou de livre arbítrio e inúmeras oportunidades para que possamos refinar a nossa Alma através de escolhas adequadas.

O mundo expressa Deus, exprime Deus. Deus é o silêncio do mundo e o mundo uma canção tocada neste silêncio, pois Deus o ampara em silêncio. Isso é o Macrocosmo.

O Universo está em constante movimento. Neste momento estão surgindo milhões de novos organismos, plantas, bichos, estrelas e galáxias. Isso garante o sentido de Eternidade. Se o Universo estivesse concluído, tudo estaria paralisado. Há um movimento constante em busca da Perfeição para se tornar Totalidade.

O mesmo se aplica a você. Você é o Microcosmo. Toda pessoa possui um corpo manifesto (corpo-mente) e uma estrutura imanifesta ou não manifesta (consciência).

A RELIGIÃO PROCURA DESCOBRIR O NÃO MANIFESTO NO MANIFETO. Não é uma questão de fugir de tudo, mas de explorar as nossas profundezas.

“ Uma coisa é certa: o observador não é a mente. Aquele que acompanha as atividades da mente não faz parte da mente. O observador está separado, a testemunha está separada. Quando você toma consciência desta Testemunha, descobre o essencial, o central, o absoluto, o imutável.” (Osho)

Este é o nosso propósito. Reconhecer que nós é quem fazemos ações e somos seres em construção, a todo momento errando e acertando para evoluir. Porém, precisamos encontrar a nossa essência, o Absoluto, aquela força que sustenta as nossas vidas e que na nossa Religião chama-se Orixá. Através do caminho do Orixás, do elemento que ele comanda, podemos identificar nossos maiores desafios e entendermos melhor a nossa tarefa de evolução.

O verdadeiro sentido da Religião é vivermos no mundo, porém  termos a consciência que é um período transitório e que nossa Alma não o pertence.

Axé!                                                                                                                  Obaraiyê

Posted in: