SATÃ – o código para nossas reações.

Já é mais que provado e comprovado que somos alfabéticos em estrutura: o nosso DNA.

Ele é composto que 4 letras: A.T.C.G. Estas 4 letras formam toma matéria do nosso corpo, o universo por palavras (carbono, silício, ferro…), enfim, conforme a combinação das letras diferentes tipos de matéria são formadas.

É um manual de instruções escrito como qualquer outro.

A nossa Alma também dispõe de um manual espiritual que são dois códigos: ADÃO e SATÃ.

Interessante observar que também são formados por 4 letras e estes códigos.

O código ADÃO determina a quantidade de luz em nós e o código SATÃ a quantidade de sombra. Ambos estão dentro de nós.

A grande sacada é saber onde encontrar SATÃ e parar de alimentá-lo, porque de outra forma continuaremos reagindo a eventos externos e não atraindo Luz para o nosso caminho.

Primeiramente reconhecer que ele é uma força dentro de nós que desafia o nosso desejo de Luz.

Exemplo: se eu quero parar de fumar. Isso geraria Luz e bem estar para minha vida. Mas uma vozinha lá dentro diz: não para não! Fuma sim! Alguém tem alguma coisa com isso?

Essa força desafia todo movimento para a Luz.

Eu brigo com alguém que amo. Me encho de razões. Não quero pedir perdão. Encontro no outro a justificativa do meu erro de brigar e “fico de mal” sem colocar luz no processo. Isso é SATÃ.

Quanto mais as “coisas” e comportamento dos outros me incomoda, me irrita… mais forte está a minha força SATÃ.

Quanto mais eu me afasto dos outros, mais eu me afasto de mim, mais eu alimento o meu SATÃ, porque conviver com o outro é o desafio para injetar Luz no meu processo.

A maior armadilha de SATÃ é nos fazer acreditar que ele não existe e que estes comportamentos reativos são nossos, sem a influência dele.

Vó Luíza diz: “… um médium que deseja mudança, necessita orar.”

A oração injeta sempre a Luz na nossa mente e desarma os nossos corações para que possamos encontrar a melhor atitude e pensamento sobre nossas questões.

Encontrando força na oração, agimos percorrendo o “caminho do meio” e nos iluminamos, fazendo com que SATÃ em nós perca mais uma refeição e vá se dissolvendo para que nossa mudança seja realmente efetiva.

Pensemos sobre nossas reações e passemos a ser proativos e mais responsáveis pelo nosso processo, não colocando culpa nos outros pelo tamanho do nosso SATÃ que julga e não nos permite encontrar os erros em nós.

Axé!

 

Obaraiyê.

Posted in: